Fuga em Dó Menor

Quem me dera eu fosse a carteira branca da escola onde debruçou-se a criança de outrora, hoje senhora, mestra das horas, foice, do tempo transcorrido, professora de antanho do sonho, dos gritos Quem me dera eu fosse nas revoluções incontidas a anti-barricada nas linhas Clamando às vozes foscas Quem me dera ser o ornamento, relicário da joia, campanário Que enfeita... Continuar Lendo →

WordPress.com.

Acima ↑