No limiar do Bhagavad-Gita

A adaptação do Mahabharata por Jean-Claude Carrière é de uma beleza exorbitante. No fronte da guerra total por começar há dois seres conversando, aos olhos atentos de dois exércitos, o guerreiro-perfeito Arjuna e o até então semi-deus Krishna. Arjuna pela primeira vez na vida hesita, ao reconhecer e sofrer as perdas de amigos e parentes, [...]

Tradução – Coda – Shakespeare the Thinker, A. D. Nuttall

          Naquela noite em que andei na sombra da multidão de Stratford para Shottery eu procurava um garoto que cresceria para tornar-se o autor de Hamlet, Rei Lear, Como Quiserem, e todas as outras maravilhosas peças que continham seu nome. No momento em que imaginei que nós estávamos lado a lado, [...]

Retrato de um amor enquanto jovem, que veio a óbito apesar do esforço sempre humano para poetisar a eternidade

Texto de 09/05/2008 Permaneceremos juntos… como a lua e suas criaturas como as lembranças e seus possuidores O que vivemos… É meu, seu, de todas as pessoas as quais compartilhamos nossos sorrisos, atos, tempo Porque somos cometas, que rajam o céu soturno que levam no seio do futuro o ontem e amam, vivem, lindos, bonita [...]

Musiquinha

Erga-se e veja o sutil hino do amanhã Sê fiel à lírica molhada da romã Deite na cama eterna com manha Sinta o fluir do rio do passado Volte ao quintal da criança à roda gigante das emoções de carinho Tome o líquido do infinito que escorrega em ti e mim, ao desvanecer do que fomos. Carrega [...]

Percentagem de Prosa e Verso em algumas obras de Shakespeare

          No entanto a principal inovação em Henrique IV Parte I, naturalmente continuada por sua sucessora, é a grande ampliação de sua dependência na prosa. Segundo Marven Spevack, 45 por cento da peça é em prosa, e o número em Henrique IV Parte 2 é 52 por cento. O contraste é [...]

Os procedimentos de universalização em Kant, Rawls e Habermas

Resumo: O texto explicita e compara os procedimentos pelos quais, Immanuel Kant, John Rawls e Jürgen Habermas buscam defender a existência e legitimidade de algum tipo de moral ou ética universal, comum a todos os homens sobre determinadas condições. Mostraremos como Rawls e Habermas retomam Kant, atualizando seu sistema, ou seja, tentando esvaziá-lo de carga [...]

Ewig

Levantei-me de um não sono cambaleante nessa noite fria, visitastes-me sem pressa. Num novelo enredam-se tempo e espaço, sonho e vigília, Efusão de lembranças, agora e amanhã. todas as músicas do radinho que continua a tocar são nossas, eternas. Sinto tremendo o barulho da barba desleixada quando afagas o meu rosto. Num breve momento assaltado [...]

Liberdade, Bem, Mal em Baruch de Espinosa (Primeira dissertação de meu curso de Filosofia, 2006)

Introdução à Dissertação           A dissertação pretende penetrar o texto do apêndice da Ética, juntamente com outras obras de Baruch de Espinosa buscando os argumentos que, juntamente com elementos específicos da ontologia de Deus e do homem desenvolverão o núcleo pelo qual o filósofo aborda a liberdade, o bem e o [...]

Mais Rousseau 2

            Para compreendermos a frase, “Todo governo legítimo é republicano”, que aparece no Livro Segundo, Capítulo VI, do Contrato Social de Rousseau seguiremos por três momentos: no primeiro (I) buscamos circunscrever os elementos fundamentais do conceito de vontade geral, tal como fora intuído por Rousseau.  Então, (II) nos voltamos para a [...]

Filosofia e História da Ciência Moderna

Seminário II Questão I – Cassirer argumenta que na magia do Renascimento encontra-se uma relação de finalidade interior e geral. O Universo é pensado como organismo vivo dotado de membros específicos que tornam o todo cognoscível. Cada ente particular é um signo e uma representação em contato direto com o todo universal, há uma alma [...]

Trabalho de Filosofia da Ciência. Idos de 2009.

Questão 1. (a) Como proposta por Platão, a definição “tripartida” confere caráter de conhecimento a opiniões verdadeiras justificadas. Sobre o excerto de São Hipólito de Roma expondo o pensamento de Xenófanes de Colofão defendemos duas interpretações: (I) se a primeira frase do excerto for lida como uma pretensão do autor em tecer uma cosmogonia, ou [...]

Resenha de A República de Platão (2008)

Livro II            Após uma introdução do mote da justiça, no livro primeiro, e o rechaçar da definição dada por Trasímaco que a justiça é “aquilo que é vantajoso para o mais forte”, Sócrates prossegue, no livro segundo, uma análise do que vem a ser a justiça. Para isso, buscará a [...]

63 Definições de Vida (aos olhos da Biologia)

Jean Baptiste LAMARCK (1802) “A vida é uma ordem ou um estado das coisas das partes componentes de um corpo, que torna o movimento orgânico possível e que efetivamente têm êxito, conforme persiste, em se opor à morte.” Ludwig BÜCHNER (1855) “A geração espontânea existe, e formas superiores se desenvolveram gradual e vagarosamente das formas [...]

A Liberdade de Shakespeare

          Propomo-nos a buscar em que sentido William Shakespeare atingiu à liberdade apesar de ter vivido em um momento histórico em que vigoravam as noções absolutas. Para tal, escolhemos como marco teórico a obra de Stephen Greenblatt e da escola conhecida como Novo Historicismo para mapear as diversas variáveis em jogo. [...]

A Queixa de um Amante de Shakespeare

Thomas Thorpe publicou “A Queixa de um Amante” [A Lover´s Complaint] no quarto de 1609 dos Sonetos de Shakespeare, atribuindo o poema a “William Shakespeare” em seu cabeçalho. À atribuição não se deve dar muito peso, porque Thorpe, evidentemente, não teve a autorização de Shakespeare para publicar os sonetos e pôde, possivelmente, ter adicionado os [...]

A Fênix e a Pomba de Shakespeare

“A Fênix e a Pomba (Tartaruga)” apareceu pela primeira vez numa coleção de poemas chamada Love´s Martyr: Or, Rosalins Complaint de Robert Chester (1601). Esse volume em quarto apresentava vários exercícios poéticos sobre a fênix e a pomba “pelos melhores e principais de nossos escritores modernos”. O poema,  atribuído a Shakespeare, tem sido universalmente aceito como [...]

O Estupro de Lucrécia de Shakespeare

O Estupro de Lucrécia está intimamente relacionado com Vênus e Adônis. Os dois foram publicados com cerca de um ano de diferença, em 1594 e 1593, respectivamente, e ambos foram impressos por Richard Field. Ambos foram dedicados ao jovem Conde de Southampton, Henry Wriothesley, cuja confiança e amizade Shakespeare parece ter ganho durante o intervalo [...]