Retrato de um amor enquanto jovem, que veio a óbito apesar do esforço sempre humano para poetisar a eternidade

Texto de 09/05/2008 Permaneceremos juntos… como a lua e suas criaturas como as lembranças e seus possuidores O que vivemos… É meu, seu, de todas as pessoas as quais compartilhamos nossos sorrisos, atos, tempo Porque somos cometas, que rajam o céu soturno que levam no seio do futuro o ontem e amam, vivem, lindos, bonita […]

Musiquinha

Erga-se e veja o sutil hino do amanhã Sê fiel à lírica molhada da romã Deite na cama eterna com manha Sinta o fluir do rio do passado Volte ao quintal da criança à roda gigante das emoções de carinho Tome o líquido do infinito que escorrega em ti e mim, ao desvanecer do que fomos. Carrega […]

Percentagem de Prosa e Verso em algumas obras de Shakespeare

          No entanto a principal inovação em Henrique IV Parte I, naturalmente continuada por sua sucessora, é a grande ampliação de sua dependência na prosa. Segundo Marven Spevack, 45 por cento da peça é em prosa, e o número em Henrique IV Parte 2 é 52 por cento. O contraste é […]

Os procedimentos de universalização em Kant, Rawls e Habermas

Resumo: O texto explicita e compara os procedimentos pelos quais, Immanuel Kant, John Rawls e Jürgen Habermas buscam defender a existência e legitimidade de algum tipo de moral ou ética universal, comum a todos os homens sobre determinadas condições. Mostraremos como Rawls e Habermas retomam Kant, atualizando seu sistema, ou seja, tentando esvaziá-lo de carga […]

Ewig

Levantei-me de um não sono cambaleante nessa noite fria, visitastes-me sem pressa. Num novelo enredam-se tempo e espaço, sonho e vigília, Efusão de lembranças, agora e amanhã. todas as músicas do radinho que continua a tocar são nossas, eternas. Sinto tremendo o barulho da barba desleixada quando afagas o meu rosto. Num breve momento assaltado […]

Liberdade, Bem, Mal em Baruch de Espinosa (Primeira dissertação de meu curso de Filosofia, 2006)

Introdução à Dissertação           A dissertação pretende penetrar o texto do apêndice da Ética, juntamente com outras obras de Baruch de Espinosa buscando os argumentos que, juntamente com elementos específicos da ontologia de Deus e do homem desenvolverão o núcleo pelo qual o filósofo aborda a liberdade, o bem e o […]

Mais Rousseau 2

            Para compreendermos a frase, “Todo governo legítimo é republicano”, que aparece no Livro Segundo, Capítulo VI, do Contrato Social de Rousseau seguiremos por três momentos: no primeiro (I) buscamos circunscrever os elementos fundamentais do conceito de vontade geral, tal como fora intuído por Rousseau.  Então, (II) nos voltamos para a […]

Filosofia e História da Ciência Moderna

Seminário II Questão I – Cassirer argumenta que na magia do Renascimento encontra-se uma relação de finalidade interior e geral. O Universo é pensado como organismo vivo dotado de membros específicos que tornam o todo cognoscível. Cada ente particular é um signo e uma representação em contato direto com o todo universal, há uma alma […]

Trabalho de Filosofia da Ciência. Idos de 2009.

Questão 1. (a) Como proposta por Platão, a definição “tripartida” confere caráter de conhecimento a opiniões verdadeiras justificadas. Sobre o excerto de São Hipólito de Roma expondo o pensamento de Xenófanes de Colofão defendemos duas interpretações: (I) se a primeira frase do excerto for lida como uma pretensão do autor em tecer uma cosmogonia, ou […]

Resenha de A República de Platão (2008)

Livro II            Após uma introdução do mote da justiça, no livro primeiro, e o rechaçar da definição dada por Trasímaco que a justiça é “aquilo que é vantajoso para o mais forte”, Sócrates prossegue, no livro segundo, uma análise do que vem a ser a justiça. Para isso, buscará a […]

63 Definições de Vida (aos olhos da Biologia)

Jean Baptiste LAMARCK (1802) “A vida é uma ordem ou um estado das coisas das partes componentes de um corpo, que torna o movimento orgânico possível e que efetivamente têm êxito, conforme persiste, em se opor à morte.” Ludwig BÜCHNER (1855) “A geração espontânea existe, e formas superiores se desenvolveram gradual e vagarosamente das formas […]

A Liberdade de Shakespeare

          Propomo-nos a buscar em que sentido William Shakespeare atingiu à liberdade apesar de ter vivido em um momento histórico em que vigoravam as noções absolutas. Para tal, escolhemos como marco teórico a obra de Stephen Greenblatt e da escola conhecida como Novo Historicismo para mapear as diversas variáveis em jogo. […]

A Queixa de um Amante de Shakespeare

Thomas Thorpe publicou “A Queixa de um Amante” [A Lover´s Complaint] no quarto de 1609 dos Sonetos de Shakespeare, atribuindo o poema a “William Shakespeare” em seu cabeçalho. À atribuição não se deve dar muito peso, porque Thorpe, evidentemente, não teve a autorização de Shakespeare para publicar os sonetos e pôde, possivelmente, ter adicionado os […]

A Fênix e a Pomba de Shakespeare

“A Fênix e a Pomba (Tartaruga)” apareceu pela primeira vez numa coleção de poemas chamada Love´s Martyr: Or, Rosalins Complaint de Robert Chester (1601). Esse volume em quarto apresentava vários exercícios poéticos sobre a fênix e a pomba “pelos melhores e principais de nossos escritores modernos”. O poema,  atribuído a Shakespeare, tem sido universalmente aceito como […]

O Estupro de Lucrécia de Shakespeare

O Estupro de Lucrécia está intimamente relacionado com Vênus e Adônis. Os dois foram publicados com cerca de um ano de diferença, em 1594 e 1593, respectivamente, e ambos foram impressos por Richard Field. Ambos foram dedicados ao jovem Conde de Southampton, Henry Wriothesley, cuja confiança e amizade Shakespeare parece ter ganho durante o intervalo […]

Vênus e Adônis de Shakespeare

Como a maioria de seus contemporâneos, Shakespeare aparentemente não considerava a escrita de peças como uma atividade literária elegante. Ele devia saber que era bom em fazê-las, e ele certamente se tornou famoso em seus dias como um dramaturgo, mas não fez grandes esforços para a publicação de suas peças. Nós não temos prefácios literários […]

Introdução aos Sonetos de Shakespeare

Introdução aos Sonetos de Shakespeare contida na Edição Completa editada por David Bevigton, Sexta Edição. Para uma discussão mais completa sobre os personagens dos Sonetos de Shakespeare e a recepção dos sonetos ao longo dos séculos: http://shakespearebrasileiro.org/shakespeare-atraves-das-eras-os-sonetos/           Shakespeare pareceu ter cuidado mais de sua reputação com um poeta lírico que como um dramaturgo. Ele […]