Nesse canteiro híbrido de terra e ar

é possível sentir a aura viva a cantar

Um soneto desce querendo entreter

letras chorosas tentando condizer

As mágoas não ultrapassam essa montanha fria

aqui, nesse lago fundo, há um lampejo de alegria

O gênio ronda, a paz impera

bem no centro da atmosfera

De tardinha tornamo-nos águia

A suplantar a -coitada- batalha

Nossa grama verdeja tanto

há certa graça nesse canto

o palpitar de corações honestos

um amálgama estranho de versos

Vejo uma Nação Brasileira por segundo

verves destoantes entre os muros

Cadê o compasso dessa orquestra?

Os comandantes da sambista seresta?

Cada qual a buscar o auge de si mesmo,

regado a vida boa, sem sofrimentos.

Aniquilar as injustiças nos ninhos

a bloquear asas, nós passarinhos

Dizem que a poesia é desencontro,

Uma bela mulher num encontro,

Talvez seja pura aguardente

A inebriar o coração da gente

Talvez um murmúrio de saudades

Um barco a velas nas tempestades

Vejo dois papagaios, você não vê?

Esses marotos verde-louros do Ser

A viver assobiando esse momento

imortalizando a voz do pensamento

Nesses dois papagaios há uma ontologia,

bem maior do que a esfera humanista.

E nossa cantiga de ninar

a mira simples a fixar

uma seta perfurante

que dá voz ao instante

Um tesouro imemorial escondido

nas molas propulsoras do sorriso

na esperança cru e tranquila

de se cruzar o mar da vida

E que estendamos à escada

para os amigos de jornada

Um cais forte e decorado em cada ilha

Embarque e desembarque da maravilha.

E que em cada eclipse da razão

haja um imenso e hirto batalhão

Um exército da fraternidade de plantão

Se o texto cura, a educação salva

teimosa ignorância que se instaura

solapando as mentes das gentes

impondo-se como um sol poente

Esqueça a maldade, o rancor

Seja tu um carteiro do amor.

Se eu pudesse te dizer eu diria

Qual o exato segredo da calmaria

a infalível receita do destino

um mapa a rascunhar o caminho

Se eu pudesse ser um aguaceiro de benesses

contínuo mensageiro das tuas preçes

Uma Universidade de um homem só

eu lhe diria tudo, assim, sem dó.

Publicado por rafaelsc

"Ensinar não é encher um balde, é acender um fogo" Yeats "Creio porque é absurdo" Tertuliano "Seja uma luz para si próprio" Buda “Sentando-se quieto, sem fazer nada, a primavera vem e a grama cresce, por si só." Matsuo Bashō "O silêncio e a risada são a chave – silêncio dentro, risada fora" Osho

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s