Categorias
Poesia

O carnaval do instante, este carro abre-alas.

Os sonhos de verão

a colorir nossa visão

a harmonia do dia

em constante vigília.

 

A noite a percorrer,

amor sem se conter,

os horizontes encantados

de teus olhos delicados.

 

Nesse reino onde o riso

é a senha do paraíso,

façamos os esconderijos

de nossos beijos incontidos.

 

E na aurora sempre prometida

sejamos um continente – não ilha

que se ergue forte para tudo

que funda o belo no mundo.

 

E que forjemos as esperanças

o agora do amanhã da criança

que resplandece e não para

enquanto não cessa a batalha.

Por rafaelsc

"Nem isso, nem aquilo." Brihadaranyaka Upanishad

"Ensinar não é encher um balde, é acender um fogo" Yeats

"Creio porque é absurdo" Tertuliano

"Seja uma luz para si próprio" Buda

“Sentando-se quieto, sem fazer nada, a primavera vem e a grama cresce, por si só." Matsuo Bashō

"O silêncio e a risada são a chave – silêncio dentro, risada fora" Osho

1 resposta em “O carnaval do instante, este carro abre-alas.”

Replique

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s