Ewig

Levantei-me de um não sono cambaleante nessa noite fria,
visitastes-me sem pressa.
Num novelo enredam-se tempo e espaço, sonho e vigília,
Efusão de lembranças, agora e amanhã.
todas as músicas do radinho que continua a tocar são nossas, eternas.
Sinto tremendo o barulho da barba desleixada quando afagas o meu rosto.
Num breve momento assaltado pela lógica
conjugo todos os anagramas possíveis do seu nome
Porém me rendo fácil ao teu toque invisível.
Traços inocentes esses. Eles têm a pretensão de capturar
o que sobrepuja milhões de vezes a língua e seu rastro escrito.
Ao sentir e amar sua presença aqui, escrevo com mãos de mulher,
endereço-te o pouco de poeira cósmica que pretensamente sou.
Lembras-te dos tempos dos abraços?
Das entre-vistas?
Regional universal que somos?
Eles não se foram, não irão.
Para além do amor, nada!
Que dêem licença as explicações milimetradas do evento a que costumamos chamar vida,
me dêem licença também os outros que amo.
Hoje, Aqui, Você!

 
Dia 02 de Dezembro de 2010
Anúncios

Replique

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

w

Conectando a %s

search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close