Fósforo

Ah! O virtuosismo do fogo contra a madeira do fósforo me entretém por horas.

Se o deixo consumado à minha frente, ele parece se metamorfozear de mim mesmo.

Comparo toda a série de acontecimentos que uma vida humana possui com a perspicácia e a efemeridade de um fósforo.

Inicia-se contendo o princípio ignitor, nasce implacavelmente brilhante. Extingue-se logo ali, a menos de cinco centímetros.

Quando aceso, no seu brevíssimo tempo de existência, inunda-nos de luz, beleza, calor; sempre cumpridor de um dever único, singular.

Se está apagado, então vemos sua distinção irreversível: de um lado, as cinzas que voltarão singelas a compor outras chamas por aí logo logo. De outro, vê-se uma parte não consumida, que deu espaço a um dedo qualquer. Esta, se bem guardada pode anunciar por milênios sua peculiaridade: a de ter suportado um brilho intenso. Porém se não o guardamos não há problema. Sua antiga luz passará a noite na cabeceira de nossas camas e com voz suave dirá: Durma bem!

Replique

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s

search previous next tag category expand menu location phone mail time cart zoom edit close